A Pim

Olá sweeties!!

Confesso que ainda me estou ambientar ao facto de não estar com horários rígidos, ter tempo, ter tempo… Não me estou a queixar atenção!

Hoje escrevo sobre um dos maiores amores da minha vida.

Fui tia pela primeira vez há 11 anos, nasceu a Pim até hoje nao sei como é que surgiu Pim mas já nao faz sentido tratá-la de outra forma. A Pim é mais adulta do que eu era com 11, não sei se me lembro de ter conversas tão profundas como ela com esta idade.

É naturalmente sensível, quando digo sensível é sensível com arte, com cores, com música, filmes, pinta e desenha como nunca vi nenhuma criança, tem imensa criatividade e o melhor de tudo… O MELHOR SENTIDO DE HUMOR DE SEMPRE! Já publiquei coisas dela no meu instagram, adorava que ela nunca perdesse este talento.

Não me interpretem mal, é uma miúda normal da idade dela – gosta de música pop (como eu também gosto), roupa super girly (como eu), revira os olhos como uma miúda de 14 anos, mas sempre com uma consciência enorme que tem 11 anos e que pouco sabe de alguns temas, e que está a crescer e vai aprender.

A forma como fala dos pais é tão bonita, idolatra os dois, a forma como descreve a amizade também. É bonito ver uma miúda a dizer que nunca julga os amigos. Claramente os pais estão a fazer um bom trabalho.

Como já perceberam a miúda é a minha pessoa preferida, é um amor incondicional, um sofrimento que se pudesse ficaria no lugar dela para que ela nunca  tivesse de passar por seja o que for, faria em dois segundos.

No fundo para mim, o amor de tia, é um estágio daquilo que posso vir a sentir no dia em que for mãe.

Acho que qualquer TIA que venha aqui ler este post vai perceber num abrir e fechar de olhos, que no fundo todos temos uma PIM.

Agora a parte não fixe deste texto e o que me deixa totalmente escandalizada…

Viajei com a minha sobrinha para fora de Portugal, nem por um segundo me pediram autorização para a menor viajar comigo. Atenção, não temos se quer o mesmo apelido nos documentos.

Por questões de segurança, retirámos os brincos, colares, cintos, viajámos com frascos pequenos em sacos de plástico, mostrámos a documentação provavelmente umas 2 a 3 vezes antes de entrarmos no avião, e eu viajei com uma criança sem me pedirem qualquer documento de autorização, uma autorização que esteve o tempo todo na minha carteira. Sou só eu que fico altamente incomodada com isto?

X

Jess